Home Quem Somos? História da Música Fale Conosco
Biografia
Discografia
Fotos
   
   

Manoel Nunes Pereira (Peão Carreiro), nasceu em Mirassolândia–SP, em 06 de setembro de 1932, e faleceu em 13 de maio de 1999, em Londrina-PR, onde está sepultado.
Iniciou a carreira em 1957. Foi proprietário do Circo Real Espanha, cujo sócio era Tuté Balieiro.
A primeira dupla formada por Peão Carreiro foi com Mulatinho. Depois com Praense, Paraíso, Zé Paulo, Praiano e Sampaio.
José Dercídio dos Santos (Praense), nasceu em Cambé-PR, no dia 06 de julho de 1943. Ainda na infância, mudou-se para Aparecida D´Oeste-SP, onde aprendeu a tocar violão e a cantar as músicas que eram sucessos de grandes nomes da música raiz, dos quais era apreciador. Foi também nessa mesma época que José Dercídio descobriu seu talento para a composição.
Pouco tempo depois, José Dercídio trocou Aparecida D´Oeste-SP pela cidade de Cianorte-PR, onde formou com Ado a primeira dupla ("Ado e Praense"). Em 1978, formou dupla com o Peão Carreiro. A nova dupla "Peão Carreiro e Praense" lançou o seu primeiro LP ("Compositores em Dueto") pela RDG em 1978, tendo alcançado sucesso com a música "Nosso Dilema" (Praense e Peão Carreiro).
No ano seguinte, "Peão Carreiro e Praense" gravaram o LP "Autores em Dueto" pelo selo Uirapuru/CBS, produzido por Horácio Faustino. Destaque para a música "Parede e Meia" (Praense e Peão Carreiro).
E, a convite do famoso radialista Zé Béttio, "Peão Carreiro e Praense" assinaram contrato com a Gravadora Copacabana, no ano de 1981, e gravaram o terceiro LP ("Quarto Vizinho"), produzido por José Homero e Ronaldo Adriano, tendo alcançado uma vendagem surpreendente e obtido bastante sucesso com a faixa-título "Quarto Vizinho" (Peão Carreiro e Praense).
Nessa época, a dupla "Peão Carreiro e Praense" participava também do inesquecível Programa "Linha Sertaneja Classe A" na Rádio Record de São Paulo-SP, apresentado pelo José Russo. Depois disso a dupla se separou. Em 1983, Peão Carreiro gravou um disco com Paraíso (José Plínio Transferetti - nascido em 01 de junho de em Elias Fausto-SP), e em 1984 voltou a dupla "Peão Carreiro e Praense", e lançaram o quarto LP "A Volta", gravado também na Copacabana, com destaque para "A Funcionária" (Praense), "Sonho Falado" (Praense), "Amor Escondido" (Praense), além da faixa-título "A Volta" (Peão Carreiro e Carlos Cézar). A dupla "Peão Carreiro e Praense" durou seis anos, de 1978 a 1984.
"Peão Carreiro e Zé Paulo" se formou no ano de 1984, ocasião na qual o Peão Carreiro já vinha de uma bem sucedida carreira de compositor e intérprete, desde 1957.
Luiz Scatampulo (Zé Paulo) nasceu no dia 28 de janeiro de 1943 em Cambé-PR. Zé Paulo havia sido parceiro de Pimentel, com quem gravou um LP em 1983, com composições de Praense, Compadre Lima, Jesus Belmiro e Peão Carreiro.
Nesse ano de 1984, desfazia-se a dupla "Peão Carreiro e Praense" e nascia a dupla "Peão Carreiro e Zé Paulo". Ao que consta, a mais duradoura das duplas formadas pelo Peão Carreiro. Gravaram 5 discos.
A dupla "Peão Carreiro e Zé Paulo", porém, se desfez em 1993, pouco antes de completar 10 anos de carreira.
Em 1994, Peão Carreiro formou dupla com o Praiano, que já havia sido parceiro do Tião Carreiro, com quem havia gravado um LP, em 1992. A dupla "Peão Carreiro e Praiano" gravou 2 LP's.
Zé Paulo, por sua vez, chegou a formar dupla com o Tinoco, em 1995 e gravou com ele um CD pela Gravadora Transcontinental (o primeiro CD que Tinoco gravou após o falecimento de seu irmão e parceiro Tonico). A dupla "Tinoco e Zé Paulo" chegou a realizar 180 shows em diversos lugares do Brasil. Em junho de 1996, porém, eles decidiram seguir outros rumos.
Distante dos palcos, Zé Paulo reside atualmente em Maringá-PR, aposentado da carreira artística.
Em 1998, Peão Carreiro voltou a formar a dupla com o Praense, e gravou mais um CD na Gravadora Atração Fonográfica. No entanto, Peão Carreiro já se encontrava bastante doente e sua Voz, já não era mais a mesma. E, em 1999, Peão Carreiro partiu para o andar de cima.
Tendo a voz bem parecida com a de seu pai, o filho do Peão Carreiro também formou com o Praense a dupla "Carreiro Filho e Praense" dando continuidade ao estilo de "Peão Carreiro e Praense". A nova dupla, no entanto, também gravou apenas um CD.
Atualmente formou dupla com Silvano, com quem adotou definitivamente o nome de seu pai, formando então a dupla "Peão Carreiro e Silvano", com quem gravou um CD.

 

 

 

Texto: Sandra Cristina Peripato