Home Quem Somos? História da Música Fale Conosco

 

ZÉ COCO DO RIACHÃO

 

José dos Reis Barbosa dos Santos nasceu em 26 de julho de 1912 na cidade de Brasília de Minas, no estado de Minas Gerais, na localidade de Riachão, no Vale do São Francisco, e faleceu em Montes Claros/MG no dia 13 de setembro de 1998.
E quando Zé Coco estava nascendo, passava por perto uma Folia-de-Reis e o menino foi consagrado por sua mãe aos Santos Reis, por isso José dos Reis foi o seu nome registrado no cartório.
Além de compositor, foi também fabricante e tocador de rabeca (espécie de violino caipira), viola, violão e cavaquinho. Zé Coco foi também marceneiro, carpinteiro, ferreiro, sapateiro e fazedor de cancelas, carro de boi, roda de rolar mandioca, etc.
Aprendeu a tocar viola com seu pai, que também construía o tradicional instrumento musical. Até que num belo dia, seu pai havia construído e encordoado uma nova viola, e, quando saiu para guardar as ferramentas, Zé Coco pegou e tocou o instrumento...
E foi então que seu pai pediu para que ele tocasse novamente e... acabou dando a nova viola de presente para Zé Coco do Riachão.
Zé Coco acabou assumindo a pequena fábrica de instrumentos musicais de seu pai com 20 anos de idade.
Não sabendo ler nem escrever, adquiriu sua habilidade do próprio convívio com os instrumentos musicais, sem nenhum estudo formal. Apesar disso, ele compôs em diversos estilos (dentre eles, lundus, mazurcas, dobrados, guaianos, corta-jacas, calangos, maxixes) com talento genuíno e apurada sensibilidade. Segundo ele, a única ajuda recebida foi através de uma simpatia tradicional entre os violeiros do Vale do São Francisco: pegar uma cobra e passar entre os dedos. O resultado é a facilidade que o violeiro terá em tocar seu instrumento.
Não teve nenhum professor, mas Zé Coco do Riachão ensinou muita gente a tocar viola! E deixou discípulos em diversos cantos do Brasil, principalmente em Minas Gerais, bem como nos estados de São Paulo e Goiás. Dentre seus discípulos, podemos citar Marimbondo Chapéu, Sinval de Gameleira, Paulo Freire, Roberto Corrêa e Chico Lobo.
Zé Coco viveu até seus 68 anos como luthier, praticamente no anonimato, construindo e consertando instrumentos musicais e também animando bailes na região. Também compunha, mas muitas das suas composições acabaram se perdendo por falta de registro.
Expressou também a possibilidade da união do Erudito com o Popular sem que nenhum dos estilos fosse descaracterizado.
Zé Coco do Riachão foi descoberto quando já tinha quase 70 anos de idade, por Téo Azevedo, repentista e pesquisador de Cultura Popular e que foi também quem lhe deu o apelido "Riachão"! E Zé Coco gravou três discos: "Brasil Puro" (Rodeio/WEA em 1980), "Zé Côco do Riachão" (Rodeio/WEA em 1981), e "Vôo das Garças" (Rima em 1987).
Fora do Brasil, Zé Coco do Riachão também tem seu valor musical reconhecido como por exemplo uma equipe de reportagem da TV Alemã que o considerou como sendo o "Beethoven do Sertão" (a partir de um filme com Téo Azevedo sobre Cantigas de Vaqueiro, produzido por Dr. Ralf do 1º Canal de Baden-Baden). Há quem diga também que Zé Coco está para os Violeiros assim como Jimmy Hendrix está para os guitarristas!

 

Texto: Sandra Cristina Peripato

 

DISCOGRAFIA

 

LPs

 

BRASIL PURO - 1980 - RODEIO/WEA - BR-79.000
01) Todo Mundo - Tradicional - Recolhido por Zé Coco do Riachão
02) No Terreiro da Fazenda - Zé Coco do Riachão
03) O Toque do Capeta - Tradicional - Recolhido por Zé Coco do Riachão
04) Saudades do Riachão - Zé Coco do Riachão
05) Inhuma - Tradicional - Recolhido por Zé Coco do Riachão
06) Guaiano em Oitava - Zé Coco do Riachão
07) Luduvina - Tradicional - Recolhido por Zé Coco do Riachão
08) Cantador Izidoro - Zé Coco do Riachão
09) Ilana - Zé Coco do Riachão
10) Quatro Partes - Tradicional - Recolhido por Zé Coco do Riachão
11) Zé Coco no Calango - Zé Coco do Riachão
12) Alto Belo - Zé Coco do Riachão
13) Cálix Bento - Tradicional - Adaptação: Téo Azevedo

 

ZÉ COCO DO RIACHÃO - 1981 - RODEIO/WEA - BR-79.004
01) Asa Branca - Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira
02) Lundú Sapateado - Tradicional - Adaptação: Zé Coco do Riachão
03) Saudade dos Netos - Zé Coco do Riachão
04) Dança das Cobras - Zé Coco do Riachão
05) Thiago Cadê Ilana - Zé Coco do Riachão
06) Bate Barriga - Zé Coco do Riachão
07) Papagaio - Tradicional - Adaptação: Zé Coco do Riachão
08) Saudade de Mirabela - Zé Coco do Riachão
09) Rala Bucho - Zé Coco do Riachão
10) Toada de Guaiano - Zé Coco do Riachão
11) Limpa Banco - Téo Azevedo
12) Carro de Boi - Zé Coco do Riachão

VÔO DAS GARÇAS - 1987 - INDEPENDENTE - Nº 439.006
01) Minha Viola e Eu - Zé Coco do Riachão
Amanhecendo no Sertão - Zé Coco do Riachão
02) Não me Deixe Só - Zé Coco do Riachão
03) Vôo das Garças - Zé Coco do Riachão
04) Lundu Jaca - Zé Coco do Riachão
05) Alvoradinha - Zé Coco do Riachão
06) Ping-Pong - Zé Coco do Riachão
07) Sapateio no Lundu - Zé Coco do Riachão
08) Dias dos Pais - Zé Coco do Riachão
09) Desafio - Zé Coco do Riachão
10) Forró do Zé - Zé Coco do Riachão
11) Homenagem a São Pedro - Zé Coco do Riachão
12) Cipó de Macaco - Zé Coco do Riachão
13) Dobrado Pra João Fumim - Zé Coco do Riachão
14) Caneal de Arubu - Tradicional - Adaptação: Zé Coco do Riachão

 

MÚSICAS

 

 

VÍDEOS

 

Zé Coco do Riachão inteerpretando "Escada do Céu"

Zé Coco do Riachão - "Viola Mineira"

Zé Coco do Riachão - "Centenário de um Brasileiro"

Zé Coco do Riachão - "Solos de Viola"

Zé Coco do Riachão interpretando "Terreiro da Fazenda"

 

FOTOS

 

Visual LightBox Gallery generated by VisualLightBox.com
Zé Coco do Riachão - 001 Zé Coco do Riachão - 002 Zé Coco do Riachão - 003 Zé Coco do Riachão - 004 Zé Coco do Riachão no Viola Minha Viola Zé Coco do Riachão - Revista Viola Caipira - Vol. 13 Livro Zé Coco do Riachão visual lightbox for MACby VisualLightBox.com v6.1